segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Franquia smash

Super Smash Bros. (大乱闘スマッシュブラザーズ, Dairantou Sumasshu Burazāzu) é uma série de jogos de luta e ação com crossovers criada e dirigida por Masahiro Sakurai, na qual o jogador controla os personagens da franquia de jogos eletrônicos da Nintendo, onde se enfrentam em batalhas. Pode ser jogado nos modos single-player e multiplayer, com até quatro jogadores simultâneos.
O jogo tem como objetivo de arremessar os adversários para fora da arena, em qualquer uma das quatro direções possíveis: para cima, para baixo, para direita e para esquerda. O dano de cada jogador é representado com porcentagens mostrado na interface. Quanto mais alto for o nível de dano, mais distância um mesmo golpe irá provocar, até fazer com que o personagem seja colocado de fora da tela, perdendo uma vida. Durante as partidas, caem itens ligados às séries dos jogos representados pelos personagens presentes no jogo, que podem ser usados por qualquer um que esteja na arena. O jogo difere da maioria dos jogos de luta tradicionais, que representam a energia dos jogadores em barras, e tem como objetivo subjugar o adversário. Depois do grande sucesso do primeiro jogo da série, a Nintendo produziu os novos jogos conforme foram saindo os novos consoles da empresa.
A série apresenta diversos personagens das franquias mais populares da Nintendo, incluindo MarioDonkey KongLinkSamus AranFox McCloudKirby e Pikachu. O Super Smash Bros. original tinha apenas 12 personagens jogáveis, com a contagem de personagens aumentando em cada jogo sucessivo

                                    Super Smash Bros. (1999)

Super Smash Bros. foi introduzido em 1999 para o Nintendo 64. Foi lançado em todo o mundo depois de vender mais de um milhão de cópias no Japão. O jogo possui 12 personagens, dos quais 8 estão disponíveis desde o início, e outros 4 personagens destraváveis​​, todos eles de franquias da Nintendo ou de suas desenvolvedoras.
Até quatro pessoas podem jogar no modo multiplayer (Versus), com as regras específicas de cada partida a ser determinada pelos jogadores. Existem dois tipos diferentes que podem ser escolhidas: Tempo, onde o jogador com o maior número de KO's no final do tempo programado vence, e Estoque, onde cada pessoa tem uma quantidade de vidas, e quando eles se acabam, o jogador é eliminado. Há 9 fases jogáveis ​​no modo Versus, 8 baseadas em cada um dos personagens iniciais e uma fase secreta, que o jogador deve liberar.
Existe um modo de jogo single player em que um jogador é incluído em um modo de aventura que o jogador enfrenta uma série de adversários, com a possibilidade de mudar a dificuldade de acordo com a preferência do jogador. Existem outros modos single player, como treinamento e vários mini-jogos.

                                Super Smash Bros. Melee (2001)

Super Smash Bros. Melee foi lançado 21 novembro de 2001, no Japão, 03 de dezembro de 2001, na América do Norte, 24 de maio de 2002, na Europa e 31 de maio de 2002, na Austrália para o GameCube. Ele tinha um orçamento maior e a equipe de desenvolvimento do Super Smash Bros., e foi bem recebido com avaliações muito melhores que seu antecessor entre os críticos e consumidores. Desde o seu lançamento, Super Smash Bros. Melee já vendeu mais de 7 milhões de cópias e foi o jogo mais vendido do GameCube.
Super Smash Bros. Melee apresenta 25 personagens, dos quais 15 estão disponíveis inicialmente, duas vezes mais que o número de personagens de seu antecessor. Há também 18 fases disponíveis inicialmente e mais 11 fases secretas, totalizando 29 fases.
Ele introduziu dois novos modos single-player ao lado do modo clássico: modo aventura, modo eventos e modo All-Star. Modo de aventura tem plataformas de segmentos semelhantes ao mini-jogo original "Race to the Finish", All-Star é uma luta contra cada personagem jogável no jogo, permite que o jogador apenas uma vida em que o dano é acumulado ao longo de cada batalha e um número limitado de itens de cura entre as batalhas, e o modo eventos é uma série de pequenos desafios que implica situações diferentes de combate.

                            Super Smash Bros. Brawl (2008)

Apesar de um terceiro jogo do Super Smash Bros. tinha sido anunciado muito antes da E3 2006, a Nintendo revelou a sua primeira informação na forma de um trailer em 10 de maio de 2006, e o jogo foi chamado Super Smash Bros. Brawl. O trailer apresentando Solid Snake, de Metal Gear, da Konami, marcando a primeira vez que um personagem de terceiros tinha sido introduzido como um personagem jogável na série Super Smash Bros.; um segundo personagem de terceiros também foi confirmado como um personagem jogável e foi Sonic da Sega, do ex-rival da Nintendo, apresentado em 10 de outubro de 2007. Super Smash Bros. Brawl foi lançado no Japão em 31 de janeiro de 2008, na América do Norte em 9 de março de 2008, na Austrália em 26 de junho de 2008, e na Europa em 27 de junho de 2008. Brawl é também o primeiro jogo da franquia que apoia o jogo on-line, através da ligação Nintendo Wi-Fi e oferecem a possibilidade para os jogadores para construírem suas próprias fases originais.
Brawl também apresenta compatibilidade com quatro tipos de controladores (o Wii Remote de lado, o Wii Remote e o Nunchuk combinados, o classic controller, e o controle de Gamecube), enquanto seus antecessores utilizava o controlador projetado para o determinado sistema. O jogador também tem a capacidade de alterar a configuração dos controles e do tipo de controlador.
Super Smash Bros. Brawl possui um modo de aventura novo intitulado Super Smash Bros. Brawl: The Subspace Emissary (O Emissário do Subespaço). Este modo apresenta histórias de personagens únicos, juntamente com os níveis secundários numerosos chefes de rolagem e múltiplos inimigos para lutar, assim como cenas de CG cortadas que explicam o enredo. The Subspace Emissary apresenta um novo grupo de antagonistas do chamado Exército do Subespaço, que são guiados pelo Ministro Antigo. Alguns desses personagens inimigos apareceu em jogos anteriores da Nintendo, como Petey Piranha da série Mario e um esquadrão de Robs baseado no clássico hardware da Nintendo. The Subspace Emissary também possui um número de inimigos originais, como o Roader, um monociclo robótico, o Bytan, uma criatura de olhos parecida com bola, que pode se replicar, se deixado sozinho, e os Primids, os inimigos que vêm em muitas variações. Embora primeiramente um modo single-player, The Subspace Emissary permite multiplayer cooperativo. Há cinco níveis de dificuldade para cada estágio, e não há um método de aumentar o poder dos personagens durante o jogo. Isto é feito colocando adesivos coletados na parte inferior do troféu de um personagem entre as fases para melhorar vários aspectos de um lutador.

         Super Smash Bros. para Nintendo 3DS e Wii U (2014)

Nintendo lançou a versão para Nintendo 3DS no dia 3 de Outubro de 2014, e a versão para Nintendo Wii U em 21 de Novembro do mesmo ano, desenvolvido pela mesma, Sora Ltd e juntamente com a empresa Namco Bandai com alguns dos membros da equipe de desenvolvimento da série Tekken que será lançado para Wii U e pela primeira vez o jogo vai chegar para o portátil da Nintendo, no caso o Nintendo 3DS. O produtor de Tekken, Katsuhiro Harada, afirmou que gostaria de adicionar personagens da série Tekken nos novos títulos de acordo com a vontade dos jogadores. A Namco Bandai e a Sora Ltd. dividiram o feedback em dois lados no primeiro lado existe um grupo de jogadores que concordam com Katsuhiro Harada e querem os personagens de Tekken e de Soul Calibur nos novos títulos, e do outro existe um grupo que discordam e não querem a presença dos personagens de Tekken. Então existem dois lados diferentes e fica difícil para as empresas Sora Ltd. e Namco Bandai escolherem uma delas. Então, Harada disse que os jogadores não devem se preocupar.Já foram confirmados muitos personagens, por enquanto são esses: Meta Knight, Robin (Mulher/Homem), Lucina, Captain Falcon, Pac-Man, Ike, Ness, Palutena, Charizard (Sozinho), Yoshi, Mii Fighter, Zero Suit Samus, Greninja, Diddy Kong, Lucario, Little Mac, King Dedede, Rosalina e Luma, Marth, Sonic The Hedgehog, Toon Link, Princesa Peach, Luigi, Pikmins e Olimar, Mario, Villager (Animal Crossing), Donkey Kong, Link, Mega Man, Samus Aran, Kirby, Wii Fit Trainer, Fox, Pikachu, Bowser, Pit. Também foi confirmada a presença de Mewtwo em 2015, mas apenas como uma DLC, que poderá ser obtida comprando-a, ou ganhando-a caso tenha comprado as duas versões do jogo. Outros personagens em DLC confirmados são Lucas, Roy, Ryu, Cloud, Corrin e Bayonetta.

                               Super Smash Bros. Ultimate

Na típica apresentação Nintendo Direct de 8 de março de 2018, a empresa anunciou que Super Smash Bros viria para Nintendo Switch, ainda no mesmo ano. Os Inklings de Splatoon, tanto em versões Boy e Girl, entram, pela primeira vez, na série Smash. No teaser trailer, era ainda perceptível ver Mario, Samus, Bowser, Pikachu, a versão de Breath of the Wild de Link (Hyrule Champion) e vários outros personagens da série escondidos nas sombras da chama do simbolo de Smash Bros. Na E3 de 2018, foi revelado que o jogo se chamaria Super Smash Bros. Ultimate, e que todos os personagens de todos os jogos Smash anteriores voltariam. O jogo está previsto para ser lançado no dia 7 de dezembro de 2018.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Homenagem a Pokemon Let's Go

                                                 Pokémon Green/Red/Blue
Primeiras versões do game, Green, Red e Blue foram responsáveis pelo o estouro de popularidade da série. O visual era simples, graças às limitações do Game Boy, mas o carisma dos monstrinhos já era marcante.
                                                           Pokémon Yellow
Com o grande sucesso da animação inspirada na série, a Nintendo resolveu lançar uma adaptação dos primeiros títulos, com destaque para o poderoso Pikachu em Pokémon Yellow. Mais do que isso, o game ganhou melhorias em seu visual, em especial no design dos monstrinhos.
Pokémon Gold/Silver
Apostando nas cores do então novíssimo Game Boy Color, Gold e Silver também traziam toda a nova geração de criaturas, incluindo novos Pokémons iniciais, lendários e um mapa completamente novo.
Pokémon Crystal
A tradicional “versão turbinada” se tornaria uma constante na série, e marcou presença mais uma vez com Crystal, que é uma reedição de Gold e Silver. A grande novidade foram Pokémons com animações, dando mais vida às batalhas do game.
Pokémon Ruby/Sapphire
Primeiros títulos da era Game Boy Advance, os jogos trouxeram o primeiro grande salto no quesito visual, com Pokémons, treinadores e cenários muito mais detalhados, além de bonitas combinações de cores e novas mecânicas.
Pokémon FireRed/LeafGreen
Remake dos primeiros títulos da série, FireRed e LeafGreen fizeram muito sucesso entre os antigos fãs da série, graças ao retorno dos clássicos monstrinhos da primeira geração. Os novos gráficos ajudaram a revitalizar o antigo game, que se tornou ainda mais atraente para os novos jogadores.
Pokémon Emerald
Versão melhorada de Ruby e Sapphire, Emerald trazia uma enorme variedade de monstrinhos, mas pouco mudou no quesito gráfico, já que o visual continuou praticamente o mesmo das versões anteriores.
Pokémon Diamond/Pearl
Lançadas em 2008, as versões marcaram a estréia da série principal no Nintendo DS, e trouxeram belíssimos gráficos, com direito a novas animações, efeitos de ataques e mapas ainda maiores.
Pokémon HeartGold/SoulSiver
Outro bem vindo remake, dessa vez dos aclamados Gold e Silver, originalmente lançados em 1999. Seguindo o estilo visual de Diamond e Pearl, o game agradou a comunidade de fãs com o retorno da memorável aventura, com direito a algumas novas mecânicas, e gráficos muito bonitos.
Pokémon Black/White
Chegando ao Nintendo DS e 2010, os títulos focavam um pouco mais no enredo, e também impressionaram pelas novidades na parte gráfica. Com apresentação mais refinada, o game também usava a tela de toque do portátil para facilitar a interação com os menus.
Pokémon Black 2/White 2
Primeira continuação direta da série principal, BlackWhite 2 deram sequência à história do primeiro título da série, e também pegaram carona na bonita identidade visual do game, mas sem deixar de adicionar novas animações e elementos.
Pokémon X/Y
Entre os títulos mais aguardados dos últimos tempos, Pokémon X e Y chegaram com a responsabilidade de iniciar a atividade da série no portátil Nintendo 3DS, que ainda não havia recebido uma versão exclusiva.

Os gráficos impressionaram pela qualidade, com Pokémons extremamente bem desenhados, e com movimentos pra lá de fluidos. Outra novidade foi a inclusão do modo 3D, suportado pela tela superior do portátil.
Pokémon Omega Ruby/Alpha Sapphire
Mais recente game da série, Pokémon Omega Ruby e Alpha Sapphire são remakes dos clássicos títulos do Game Boy Advance, que marcaram a série pela introdução de diversas novidades.
Os games aproveitam do poder do Nintendo 3DS para modernizar os cenários, personagens e Pokémons do título, sem esquecer de mecânicas mais atuais, como as mega evoluções e o modo 3D

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Top 3 Demakes

A os remakes como não conhecê-los como o de Ducktales









ou de Tomb Rider.












Mas hoje não irei falar deles e sim dos demakes, mas antes o que e um demake ?!
Demake arte de pegar um jogo atual como god of war e deixá-lo com graficos mais antigos.

Agora vamos a lista

-1 d-pad hero
Um nostálgico fã da geração 8 bits e de Guitar Hero conhecido apenas como Kent resolveu desenvolver um demake usando apenas o controle do NES. 

O impressionante do Guitar Hero de NES são as quatro músicas que foram sintetizadas em midis: Sweet Child o'Mine, do Guns ‘n Roses; The Way you Make me Feel do Rei do Pop, Michael Jackson; The Swing of Things do A-ha e Harder, Better, Faster, Stronger, do Daft Punk. Todas as músicas transformadas para o hardware do NES e tocam, dentro das limitações do hardware, de forma perfeita. 

O jogo faz miséria com dois botões, e combinando o direcional com os botões chega-se a até seis combinações diferentes, ultrapassando até mesmo os cinco botões coloridos das guitarras originais de Guitar Hero. 

-2 goldeneye 2D
A Rare criou um dos maiores sucessos do Nintendo 64 com GoldenEye. A memória dos ótimos modos singleplayer e multiplayer do jogo valeu um remake pela Activision, lançado recentemente para o Wii. O que a produtora não esperava é que um grupo de programadores chamados Perfect Run tivesse seguido o caminho inverso antes que James Bond debutasse no Wii, com um demake de GoldenEye em 2D, usando o hardware preto e branco do GameBoy.

As armas são adquiridas conforme o jogador for matando seus inimigos e vão de pistolas a rifles com alto poder de fogo. Mesmo com todo esse armamento a dificuldade é alta e o jogador tem apenas uma barra de vida. Quando ela esgota é Game Over na hora. Não importa em que fase morreu, o jogo sempre começa tudo novamente, trazendo de volta também a memória de como os jogos eram cruéis naquela época.

-3 Hold me Closer, Giant Dancer

O estúdio Team Ico nem existia na década de 80, mas o entusiasta conhecido como BigPants se esforçou para imaginar como seria Shadow of Colossus naquela época. O demake se chama Hold me Closer, Giant Dancer! e, como o nome indica, teve que mudar muito para virar o Shadow of Colossus de TRS-80. Mas seu brilho não foi ofuscado. Wanderer, o protagonista, perdeu todos os seus polígonos e virou apenas um ponto. Um ponto que tem o dever de perseguir cada colosso acertando os locais certos para matá-lo. Aqui, ao contrário do original, os pontos fracos não estão sempre à mostra e o jogador precisa procurá-los para derrotar os gigantes. Como o antigo computador não suportava som e exibia pouquíssimas cores, o demake segue essas limitações. 

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

baseball

                    Aqui esta mais uma animação para vocês espero que gostem

gostou compartilhe e comentem se vocês quiserem mais

terça-feira, 26 de setembro de 2017

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Luiz Miguel

Olá Pessoal meu nome e Luiz Miguel, Tenho 12 anos e este é o meu blogs de variedades. Quero através desse blog apresentar dicas de jogos, desenhos animados, revistas em quadrinhos, brinquedos, curiosidades animais e muito mais. Mande suas dicas nos comentários no final dessa postagem.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Windows

É inegável a popularidade que o sistema operacional da Microsoft, o odiado e amado Windows, possui no segmento em que atua. A pesquisa de mercado mais recente publicada no TecMundo aponta que o SO está presente em mais de 90% dos computadores do mundo todo. Gostando ou não, esse é um resultado bastante expressivo e que mostra que a companhia domina a categoria com muita folga.
Mas, como muitos devem saber, nem sempre foi assim. O Windows não nasceu da forma como o conhecemos e nem com todos os recursos com os quais estamos familiarizados. Houve um processo gradual de evolução em que a Microsoft aprendeu quais eram as necessidades das pessoas e aperfeiçoou funcionalidades para equipar o seu programa.

29 anos de história

O primeiro sistema operacional lançado pela companhia chegou ao mercado no ano de 1985. Desde então, muitas versões do seu software para equipar estações de trabalho foram entregues aos consumidores, incluindo o recém-anunciado Windows 10.
Neste artigo, vamos fazer uma pequena viagem no tempo e visitar cada uma das versões do sistema operacional da Microsoft para descobrir quais foram as novidades que elas entregaram. Abordaremos os seguintes SOs: Windows 1, Windows 2, Windows 3, Windows 3.1, Windows 95, Windows 98, Windows ME, Windows XPWindows VistaWindows 7Windows 8Windows 8.1 e Windows 10.
É importante ressaltar que vamos levar em conta apenas os sistemas operacionais para desktop e que são voltados para os consumidores domésticos. Portanto, nada de Windows Server ou Windows Phone neste texto, apesar de ambos possuírem uma bela história que também poderia render um artigo.
Também temos ciência de que as primeiras versões do Windows não passavam de uma interface gráfica para o verdadeiro SO que estava escondido: o MS-DOS. Porém, a abordagem manterá o foco naqueles produtos da Microsoft que foram batizados de “Windows” e nas suas principais inovações.

Windows 1

Aqui começa a história da Microsoft com seus sistemas operacionais Windows. A primeira versão do SO foi lançada em novembro de 1985 e foi a tentativa inicial da companhia em entregar uma interface gráfica em 16 bits.
O Windows 1 foi construído sobre o MS-DOS e seu funcionamento se apoiava bastante nas entradas inseridas nas linhas de comando do sistema. Apesar disso, a Microsoft já havia colocado suporte ao mouse, incluindo, também, um jogo para “ensinar” as pessoas a utilizarem esse novo periférico.

Windows 2

Dois anos depois da estreia no mercado de sistemas operacionais, a Microsoft resolveu fazer o lançamento do Windows 2 em dezembro de 1987. A grande inovação desse software era a possibilidade de as janelas sobreporem umas às outras, funcionalidade que parece piada nos dias de hoje.
Também foi incluída a possibilidade de minimizar e máximar as janelas, e o conhecido Painel de Controle, que reunia as principais ferramentas do sistema, também fez a sua estreia no Windows 2. Outras duas ferramentas que apareceram debutaram nesta versão e permanecem até hoje são o Word e o Excel, pertencentes ao Pacote Office.

Windows 3

Lançado em 1990, este foi o primeiro SO da Microsoft a exigir um disco rígido para ser instalado. Este também foi aquele que despertou a atenção do mercado para o nome “Windows”, colocando-o de vez na disputa pela popularidade.
A grande inovação do Windows 3 diz respeito aos programas do MS-DOS que agora podiam ser executados em uma janela normal, dando bastante flexibilidade aos que não se adaptavam logo de cara com a interface gráfica do software. O suporte a 256 cores e o jogo “Paciência” (Solitaire, em inglês) foram outras novidades importantes dessa versão do SO.

Windows 3.1

Apesar de os Windows 1 e 2 também possuírem versões derivadas com um “ponto”, foi o Windows 3.1 que precisou ser separado do 3 por causa de suas atualizações significativas. A principal delas foi a introdução da fonte TrueType, transformando o SO, pela primeira vez, em uma plataforma de publicação.
O Windows 3.1 exigia 1 MB de memória RAM para ser executado e, depois de instalado, ocupava apenas 15 MB do disco rígido. O jogo “Campo Minado” fez a sua estreia nesta versão do sistema operacional da Microsoft.

Windows 95

Como o nome sugere, esse SO da Microsoft foi lançado no ano de 1995 e trouxe, pela primeira vez, o Menu Iniciar e a Barra de ferramentas tão familiares para todos nós. O Windows 95 também inaugurou o conceito de “plug and play”, facilitando bastante a vida de quem precisasse utilizar um periférico diferente.
Foi nesta versão que o Internet Explorer fez a sua estreia, mas chegou apenas em uma pacote adicional lançado posteriormente. A arquitetura de 32 bits também começou a aparecer nesse SO e o MS-DOS ainda era necessário para executar uma série de funções do sistema e acessar muitos de seus recursos.

Windows 98

Lançado em 1998, o Windows 98 foi construído sobre a versão anterior e trouxe uma série de novidades. Entre elas estão o IE 4, o Outlook Express, o Windows Address Book, o Microsoft Chat e o NetShow Play, que posteriormente seria substituído pelo Windows Media Player. Com exceção do IE, do Outlook e do WMP, todas as outras ferramentas já foram aposentadas ou substituídas.
O Windows 98 introduziu o recurso de avançar e voltar na navegação, além da barra de endereço no Windows Explorer. O suporte ao padrão USB também foi bastante aprimorado, dando início a uma adoção generalizada desse formato.

Windows ME

O Windows Millennium Edition foi a última versão do SO baseada no MS-DOS e considerada por muitos como a pior de todas. Ela foi lançada em 2000 e teve uma variante que foi especialmente desenvolvida para equipar servidores, o Windows 2000.
O IE 5.5, o Windows Media Player 7 e o Windows Movie Maker fizeram a sua estreia no Millennium Edition. O recurso de autocompletar também fez a sua primeira aparição neste sistema operacional, mas isso não foi suficiente para salvá-lo das críticas por causa dos bugs e problemas de instalação que apresentava.

Windows XP

Alguns argumentam que esta seja a melhor versão do sistema operacional da Microsoft. Ela foi lançada em outubro de 2001 e foi a que mais durou no mercado, recebendo suporte até o mês de abril de 2014 – 13 anos após a sua estreia no segmento.
O SO ainda se mostra relativamente popular, estando presente em mais de 20% dos computadores de todos os adeptos do SO. As principais novidades foram a repaginada no visual e a estabilidade do sistema, que agradou e conquistou milhões de usuários ao redor do mundo.

Windows Vista

Ao contrário do seu antecessor, o Windows Vista recebeu duras críticas dos consumidores que tiveram a infelicidade de utilizá-lo.  O sistema apresentava uma série de problemas e funcionalidades mal implementadas, sendo que uma das principais reclamações era referente ao UAC, ou User Account Controle (Controle de Contas do Usuário).
Apesar disso, o Windows Vista trouxe um visual moderno que apostou na transparência e recursos visuais bem chamativos, como gadgets na Área de trabalho. No entanto, esses também foram recursos que desfavoreceram o SO por exigirem muito do hardware da máquina, limitando a sua atuação para computadores mais potentes.

Windows 7

Vencendo com facilidade a liderança de sistemas operacionais mais utilizados do mercado, o Windows 7 disputa o topo do ranking na preferência de usuários com o XP. Lançado em 2009, esse SO trouxe mudanças visuais pequenas em relação ao seu antecessor, mas é mais rápido, estável e fácil de utilizar.
Mais da metade da população mundial que tem acesso a um computador utiliza o Windows 7 como sistema operacional principal em sua máquina. Isso mostra como a Microsoft acertou em cheio com esta versão de seu software.

Windows 8

Lançado em 2012, o Windows 8 foi a tentativa mais radical da Microsoft de alterar o visual do seu sistema operacional. A mudança foi motivada por causa da chegada dos dispositivos que respondem ao toque, eliminando, por causa disso, o Menu Iniciar e dando lugar a uma tela totalmente nova que se baseia no uso de “tiles” (pequenos quadrados que representam um programa).
A mudança na aparência não agradou a todos, o que culminou no “fracasso” do sistema operacional. Apesar disso, o Windows 8 é ligeiramente mais rápido que seu antecessor e trouxe muitas novidades, como o suporte ao USB 3.0 e a Loja do Windows. Uma versão para dispositivos móveis e com suporte para processadores ARM, batizada de Windows RT, também foi lançada, mas não fez o sucesso que a companhia esperava.

Windows 8.1

Trazendo mudanças sutis em relação ao seu antecessor, o Windows 8.1 veio em resposta às reclamações das pessoas por causa das alterações visuais que o SO sofreu. Por causa disso, a Microsoft decidiu retroceder e trazer de voltar o botão do Menu Iniciar.
Além disso, as pessoas podiam escolher iniciar o computador diretamente a partir da Área de trabalho, o que não era possível com o Windows 8. Não houve mudanças significativas em relação à estabilidade e à velocidade do sistema.

Windows 10

Anunciado no dia 30 de setembro de 2014, o Windows 10 acabou de ter uma versão de testes liberada para o público. Ainda é muito cedo para dizer se essa variante do sistema fará sucesso, mas a Microsoft tem demostrado que está ouvindo o feedback dos consumidores. Confira nosso artigo especial que conta as principais novidades que a última versão do sistema operacional da empresa trará para nós.

Um bom, um ruim, um bom, um ruim...

Quem está antenado na tecnologia conhece a “teoria” relacionada aos sistemas operacionais da Microsoft. Analisando a retrospectiva de lançamentos da companhia, alguns argumentam que as versões do SO sempre alternam em qualidade, sendo que uma variante que foi bem recebida pela comunidade é seguida de uma que é considerada “fraca”.
Essa teoria começa com o Windows 3.1, sendo que ele é considerado um “bom” Windows juntamente com o 98, o XP e o 7. O fato de a versão 8.1 não ter trazido muitas mudanças em relação ao Windows 8 implica em dizer que ela não entrou no esquema. Portanto, a esperança é de que a próxima atualização, o Windows 10, pertença ao lado “bom” da brincadeira. Será que essa teoria vai acertar novamente?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...